Capítulo 20

Desde que o padre chegou à igreja voltando da praça, onde presenciou a retirada das vítimas de Gabriel; começou a traduzir a pilha de cartas e documentos que Erom Andreas Chagas e o padre Giovanne Poggimartro haviam trocado durante algum tempo, Bruno remexeu em alguns pertences de estudo de seu antigo companheiro e recolheu todos os papéis em que encontrou os nomes Gabriel ou Erom, e não eram poucos. Colocou-os em seu escritório em uma “bagunça organizada” começando a traduzi-los. Iniciou pelas cartas menores que os caçadores tinham trocado. Ao que parecia eles tinham trocado muita informação sobre várias criaturas que residiam no Rio de Janeiro e, é claro, particularmente sobre Gabriel; mas muita coisa chamava a atenção nos escritos, Erom citou várias e várias vezes os termos filhos da noite e filhos da lua.


O tempo passou como costumava ocorrer, mas só que dessa vez Bruno estava bem protegido dentro das paredes da igreja, depois de quase cinco horas traduzindo, fazendo ligações, associações estratégicas e até mesmo desvendando códigos usados nas cartas e relatórios; o padre resolveu parar um tempo, sua cabeça ainda estava assimilando todo o material novo que tinha para trabalhar e não queria perder nada, analisaria tudo calmamente para então resolver o que fazer; ao mesmo tempo estava empolgado com todas as coisas que Erom havia descrito.